Histórias e Notas

A discoteca de Inezita

18 DE SETEMBRO DE 2017por admin202017

Além de utilizar seu gravador Akai para registrar seus ensaios, recitais e momentos privados com amigos e familiares, Inezita costumava aproveitar o equipamento para fazer uma espécie de backup de sua discoteca. Em fitas de rolo, ela armazenava não apenas músicas extraídas de seus próprios discos como também gravações comerciais de diversos artistas.

Essa coleção guarda 126 faixas copiadas de 55 títulos, entre discos de 78 rotações, compactos e long playings, englobando 45 anos: a gravação mais antiga é “Cortando o estradão” (Anacleto Rosas Júnior), tirada de um 78 rpm de Tonico & Tinoco de 1946, e os registros mais recentes são “Boiadeiro errante” (Teddy Vieira) e “Mourão da porteira” (Raul Torres/ João Pacífico), ambos copiados do álbum “Orquestra de Violeiros Coração da Viola”, lançado em 1981 pelo conjunto musical de mesmo nome.

Evidentemente, não se trata de um recorte definitivo e completo – afinal de contas, não se pode desprezar as gravações que Inezita também ouvia nos demais formatos (cassetes, LPs e mesmo pelo rádio ou televisão). Mesmo assim, o conjunto dessas fitas de rolo ajuda a revelar quais eram os intérpretes e instrumentistas que ela costumava ouvir naquele período.

O que prevalece são gravações de nomes identificados com o gênero caipira, como as duplas Raul Torres & Florêncio, Palmeira & Luizinho, Duo Glacial e Liu & Léu. No entanto, confirmando o ecletismo da ouvinte, outros gêneros e estilos musicais também se destacam. O samba, por exemplo, aparece em gravações de Adoniran Barbosa, Demônios da Garoa, Conjunto Rosa de Ouro e Paulo Vanzolini. A bossa nova está representada por Carlos Lyra, enquanto a jovem guarda surge nas vozes de Roberto Carlos e Martinha.

Também é possível notar que Inezita acompanhou os festivais televisivos da década de 1960. Nas fitas, ela preservou três faixas do LP “III Festival Internacional da Canção Popular” (1968) – “Passacalha” (Edino Krieger), na interpretação do Quarteto 004; “Andança” (Danilo Caymmi / Edmundo Souto / Paulinho Tapajós), com Danilo Caymmi e Vânia; e “Sabiá” (Tom Jobim/ Chico Buarque), na interpretação de Cynara e Cybele – e uma faixa do LP “I Festival Universitário de Música Popular Brasileira (TV Tupi)” (1968): “O violeiro” (Homero Moutinho Filho), na interpretação de Jair Rodrigues e Quarteto Novo.

Já os artistas estrangeiros da coleção são o cantor espanhol Juan Legido (acompanhado pela orquestra Los Churumbeles de España), o cantautor uruguaio Alfredo Zitarrosa, o intérprete e compositor ítalo-belga Salvatore Adamo, o grupo mexicano Los Chijuas, o conjunto norte-americano Gary Lewis & The Playboys e a cantora e compositora estadunidense Joan Baez.

3 comentários

  • Reply

    Nidia Leonardi

    2 de novembro de 2017 at 22:32

    Adorei encontrar esse site. Sempre acompanhei a Inezita desde mocinha e nos últimos programas que ela fez sentada para poder apresentar seu maravilhoso programa na TV cultura
    Ele merece que sua memória seja guardada e que muitos possam valorizar esse ícone do Brasil
    Amo e amare sempre .

  • Reply

    ipfan.info

    4 de abril de 2019 at 07:16

    Nesse numeros de carater mais folclorico, o acordeom de Ana Rodrigues sobressai nos arranjos elegantes de Paulo Serau. Enfim, Inezita Barroso foi artista de expressividade tao grande que o disco consegue somente dar uma amostra da extensa obra deixada pela artista.

  • Reply

    Marcus Plessmann de Castro

    3 de dezembro de 2019 at 13:53

    Preciso de Algum contato com a filha de Enezita a Marta, podemm me ajudar?

Deixe uma resposta para Nidia Leonardi Cancelar resposta